Trending

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Max 2017 - Evento levará Filmes e Concerto em Belo Horizonte!

Entre 22 e 26 de agosto, a MAX – Minas Gerais Audiovisual Expo promove a maior iniciativa pública de fomento ao setor audiovisual do país. Enquanto serão realizados, na Serraria Souza Pinto, 50 painéis de capacitação e centenas de encontros de negócios envolvendo toda a cadeia produtiva de cinema, televisão, internet e games, na Praça da Estação o grande público terá acesso a uma mostra de cinema gratuita. Com curadoria da 11a Edição da Mostra CineBH, a Mostra Clássicos na Praça vai exibir vários títulos da história do cinema, em gêneros como ficção, aventura, suspense e comédia.

Na noite do dia 22 (terça-feira), a MAX será aberta com um grande espetáculo. Na telona, uma das obras-primas do cinema mudo, O Garoto de Charles Chaplin, com trilha sonora executada ao vivo pela Orquestra de Câmara Sesiminas. O repertório foi criado especialmente para o Cine Concerto com trechos de obras de grandes compositores como Brahms, Strauss, Puccini e os brasileiros Carlos Gomes e Alberto Nepomuceno.

A programação da mostra inclui também os filmes Janela Indiscreta (Alfred Hitchcock, 1954), Blade Runner – O Caçador de Androides (Ridley Scott, 1982) e O Menino Maluquinho – O Filme (Helvécio Ratton, 1995).

Blade Runner

Além dos longas-metragens clássicos, serão exibidos ainda curtas relevantes para o desenvolvimento da linguagem audiovisual no estado, desde A Velha a Fiar de Humberto Mauro, lançado em 1964, até as produções mais recentes dos premiados cineastas mineiros Ana Carolina Soares, André Novais e Rafael Conde.

A cidade como personagem

De acordo com os curadores da Mostra CineBH, a proposta da Mostra Clássicos na Praça é exibir filmes populares que sejam parte do imaginário de várias gerações de espectadores.

A ideia destas sessões é estabelecer uma relação próxima com o público da cidade, conjugando a relevância artística dos filmes e dos cineastas à intensa comunicação que estes filmes mantêm com todo tipo de público”, explica Francis Vogner.

Marcelo Miranda destaca que a maior parte dos curtas e dos longas escolhidos têm a cidade como personagem: “Alguns, em especial, tematizam os próprios espaços urbanos, como é o caso de Eles Vivem, que trata da influência da propaganda na cidade, de Blade Runner, que traz um cenário futurista e caótico e Janela Indiscreta, que explora a intimidade na grande metrópole”.

São obras que dialogam com a ideia de viver, circular e conviver na cidade. Entre aventura, ficção científica, romance, invasões alienígenas, voyeurismo e brincadeiras de criança, os filmes misturam ambientes urbanos e apresentam também o contraponto da vida rural”, completa Pedro Butcher.

Mostra Clássicos na Praça

22 AGO – TERÇA | 19h - ABERTURA | CINE-CONCERTO

O GAROTO (1921, longa-metragem), de Charles Chaplin

É um exemplo de uma das obras-primas de um artista maior, Charles Chaplin, ator e diretor que se tornou emblema do cinema, arte radical e popular. O Garoto é um de seus filmes mais famosos, marcado profundamente por um estilo que conjuga inventividade, emoção e beleza. O filme inaugura a programação e a exibição será acompanhada de um Cine-Concerto, com a trilha sonora executada ao vivo pela Orquestra de Câmara Sesiminas.

CINE-CONCERTO DA ORQUESTRA DE CÂMARA SESIMINAS

A trilha sonora criada especialmente para o evento proporcionará ao público uma experiência única de som e imagem. A Orquestra, que completou 30 anos de atividades no ano passado, traz um pouco da sua história, utilizando algumas das mais belas obras que compõem seu repertório como fundo musical do grande clássico de Chaplin, sob a regência de Felipe Magalhães.

Programa

Giacomo Puccini – I Crisantemi
Karl Jenkins – Palladio, 1º mov
Alberto Nepomuceno – Suite Antiga, 1º mov (minueto)
Edvard Grieg – Duas Canções Elegíacas, 2º mov (A Última Primavera) / Suite Holberg, 2º mov (sarabanda)
Johannes Brahms – Dança Húngara nº5 / arranjo: Eliseu Barros
Leroy Anderson – Plink, Plank, Plunk / arranjo: William Zinn
Antonin Dvorák – Serenata para cordas, 2º mov
Edward Elgar – Serenata para cordas, 1º mov
Johann Strauss Jr. – Pizzicato Polka
Vasily Kalinnikov – Serenata para cordas em sol menor
Antônio Carlos Gomes – Sonata para cordas, 4º mov (Burrico de Pau)

Orquestra de Câmara Sesiminas - Fundada com o objetivo de garantir o acesso ao repertório camerístico de qualidade ao trabalhador da indústria mineira e seus dependentes, a Orquestra já conta com mais de 1.100 concertos realizados em locais que vão de pátios de fábricas, passando por hospitais e escolas, chegando às melhores salas de concertos não só da capital, mas também do interior de Minas. Em sua trajetória, a Orquestra de Câmara Sesiminas pode atuar junto a solistas renomados como Nelson Freire, Antônio Menezes, Arthur Moreira Lima e Duo Assad. No campo da música popular, artistas como Milton Nascimento, Vander Lee, Maria Gadu, Diogo Nogueira, e grupos como Skank e Jota Quest também puderam integrar sua rica programação.

23 AGO – QUARTA | 19h30

ESTADO ITINERANTE (2016, curta-metragem), de Ana Carolina Soares. Sinopse: Vivi quer escapar de uma relação opressora. Em período de experiência como cobradora de ônibus, ela trabalha desejando não voltar para casa. A semana passa rápido, entre as paradas no ponto final e o itinerário os encontros com outras cobradoras fortalecem a mulher trabalhadora e seu desejo de fuga. Logo é final de semana e o centro de Belo Horizonte já não parece tão longe do bairro Boa Vista.

ELES VIVEM (1989, longa-metragem), de John Carpenter - Mistura de ação e ficção científica, divertida alegoria sobre o poder da mídia e da publicidade, com uma crítica feroz à manipulação de informação. Dialoga com a temática "cinema de urgência", ao mesmo tempo, em que é uma aventura cheia de reviravoltas, brigas e tudo mais que chama atenção de todo tipo de público. Filme muito popular nos anos 1980 e 1990.

24 AGO – QUINTA |19h30

FANTASMAS (2011, curta-metragem), de André Novais - Filme mineiro que colocou em evidência a produção da cidade de Contagem num filme inventivo e simples, que até hoje perturba o espectador.

JANELA INDISCRETA (1954, longa-metragem), de Alfred Hitchcock - Um dos filmes mais famosos do diretor de cinema mais conhecido de todos os tempos, Alfred Hitchcock. A história de suspense e humor tem uma força que não envelheceu, além de ser o modelo perfeito de filme popular e também um dos exemplos mais interessantes de radicalidade experimental dentro do cinema industrial de Hollywood. É ainda uma metáfora sobre o próprio cinema, com o personagem de perna quebrada que bisbilhota os vizinhos do prédio em frente.

25 AGO – SEXTA | 19h30

A HORA VAGABUNDA (1998, curta-metragem), de Rafael Conde - Filme essencial nos anos 1990, explora com picardia os espaços urbanos mais conhecidos de Belo Horizonte.

BLADE RUNNER – O CAÇADOR DE ANDROIDES (1982, longa-metragem), de Ridley Scott - Clássico absoluto da ficção científica, de exuberância estilística e influência na cultura pop, o filme serviu de inspiração a diversos filmes sobre um futuro distópico.

26 AGO – SÁBADO | 18h

A VELHA A FIAR (1964, curta-metragem), de Humberto Mauro - Do pioneiro e nosso cineasta maior Humberto Mauro, é um dos mais importantes filmes do país, baseado em canção popular tocada em versão do Trio Irakitan.

MENINO MALUQUINHO – O FILME (1995, longa-metragem), de Helvécio Ratton - Sessão para toda família, o filme é um clássico do cinema infanto-juvenil brasileiro. Baseado na obra de Ziraldo e grande sucesso nos cinemas num período em que poucos títulos do país atraíam tantos espectadores às salas. Menino Maluquinho – O Filme é uma produção do Grupo Novo de Cinema e TV.

Ações Culturais e Educativas

Além da Mostra Clássicos na Praça, a programação cultural da MAX 2017 inclui também exposição e ações educativas no Museu de Artes e Ofícios. O projeto “O ofício da animação” vai levar ao museu animadores de Minas e de outros estados que irão oferecer oficinas gratuitas ao público, com produção de animações ao vivo em técnicas de stop motion, animação experimental, claymation e desenho animado, revelando os processos e as engenhocas do cinema.

A MAX vai abrigar ainda uma maratona criativa internacional, realizada pela primeira vez na América do Sul, em Minas Gerais, simultaneamente a outros treze lugares do mundo, promovida pela comunidade Museomix Global e pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico – IEPHA-MG.

Nenhum comentário:

Postar um comentário