Trending

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Ministro diz que games fazem apologia a violência e incentivam crimes

O Ministro da Justiça do Brasil, José Eduardo Cardozo, participou de um evento nos Estados Unidos nesta quinta feira, dia 14, e fez um discurso na sede da Organização dos Estados Americanos (OEA) onde atacou os games.

"A violência é hoje cultivada e aplaudida, seja em esportes ou jogos de crianças pequenas", disse o ministro no evento, onde seu discurso tinha como tema um pacto nacional contra homicídios que deve ser anunciado pelo governo federal nas próximas semanas.

"Outro dia, ouvi um especialista dizer que nunca viu um game e que o vencedor é quem salva vidas, pois o vencedor é sempre quem mata", mencionou Cardozo.

"Essa cultura de exaltação da violência se projeta e acaba banalizando a violência, disseminando uma realidade perversa em que seres humanos podem aniquilar, ferir ou outros em atos que são socialmente reprovados", concluiu.

Fonte: BBC Brasil

ministro da justiça games

Nossa Opinião: E lá vamos nós outra vez. Na primeira colocação do ministro ele menciona a violência cultuada em jogos para crianças pequenas. Existe uma classificação indicativa feita no país pelos órgãos do próprio governo federal, ou seja, se algum game violento tem sido direcionado a crianças eles deveriam rever seus conceitos. Porém creio que na verdade o ministro quis generalizar como se todos os games fossem feitos para crianças, o que mostra uma total falta de conhecimento do mesmo.

Já na segunda colocação o ministro cita que ouviu um especialista falando sobre games, mas sem ao menos citar quem é o especialista e qual o contexto de sua citação. Mais uma colocação vazia para alguém que se propõe falar na OEA.

Por fim, culpar games pela violência é algo tão pobre e superficial quando se fala de Brasil, onde presos falam ao celular e ficam cada vez mais violentos na cadeia. Onde nossas escolas públicas carecem de estrutura e onde nossos políticos, incluindo do governo federal do ministro Cardozo, dão péssimos exemplos revoltando cada vez mais a população.

Por fim existem estudos divergentes com relação a um aumento de agressividade em algum momento em que se joga, porém não existe nenhum estudo que coloquem os games como agente principal na formação de um criminoso, isso é leviano e ridículo da parte de um ministro que se propõe a falar sobre o assunto, quando o tema é o combate aos homicídios em uma organização mundial.

Em um país de impostos revoltantes, políticos que dão péssimos exemplos e um sistema penitenciário falido, creio que medidas mais pontuais e um discurso mais objetivo seria de grande valia pelo momento em que nos encontramos, além do mais, culpar toda a cultura e o nicho dos games como se todos fossem violentos é de uma falta de conhecimento que me lembra discursos do inicio dos anos 90. Evoluamos caro ministro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário